Boa tarde pessoal! Hoje eu vim falar com vocês sobre um livro muito diferente, mas antes de qualquer coisa eu gostaria de me desculpar por ainda não ter colocado no blog meu Book Haul do mês de março. O post sai logo no final de semana, pois alguns livros estão na minha outra casa e eu preciso reuni-los para as fotos!! Já estou ansiosa pois adoro fotografar... mas, por enquanto, fiquem com a resenha de O Lado Mais Sombrio...


“Normal é algo subjetivo. Nunca deixe que ninguém lhe diga que não é normal.”

     Quando Alice vivenciou toda a magia e a esquisitice no País das Maravilhas, ela era apenas uma criança. Com um pouco de imaginação e fé nos seres intraterrenos daquele lugar, Alice conta suas aventuras de modo brilhante em um livro que será levado por muitas gerações ainda, graças a Lewis Carroll. Os fatos são tão brilhantes, que todos que estão aqui lendo a resenha já se interessaram pela história ao menos uma vez na vida. Mas como eu disse, aquela era apenas uma criança. Quem garante que o Coelho Branco é realmente um roedor fofinho de orelhas compridas, olhos vermelhos, envolto em um colete feito sob medidas e sempre apressado? E quanto ao Chapeleiro? Qual é sua verdadeira identidade? As aventuras – imaginárias ou não – de Alice Liddell, a menina que inspirou Lewis Carroll, ainda estão presentes na alma de todas as mulheres de sua família, e o resultado destas aventuras oscila entre momentos de lucidez e uma loucura em forma de maldição.


“Por mais mórbido que pareça, a mistura do bizarro e do natural, de alguma maneira, cria beleza.”

     Alyssa Gardner nunca foi uma garota comum. Cabelos platinados e olhos azuis dignos de uma princesa escondem a angustia de não saber o que é o silêncio. Quando era muito jovem ela assistiu sua mãe ser levada a uma clinica de psiquiatria devido a uma sucessão de surtos de loucura e, pouco depois disso, os sintomas que a mãe possuía se fizeram presentes em seu corpo. Foi assim que Alyssia descobriu como era ouvir ruídos vindos de plantas e de insetos e, desde então, obstinada a evitar qualquer sinal desta loucura, ela vive mergulhada em sua arte de construir maquetes e mosaicos extremamente mórbidos a base de insetos e folhas secas, afinal o único modo de silenciá-los é espetando seus corpos contra o gesso.

     Seus dias são bastante regulares. As idas à escola, ao trabalho e à pista de skate onde seu melhor amigo – e dono de seus mais profundos sentimentos – trabalha preenchem a maior parte de seus dias, e às sextas feiras é o dia de visitar sua mãe no hospital e, junto com seu pai tomar sorvete de cheesecake. Tudo poderia ser normal caso Alyssia não fosse tataraneta de Alice Liddell que, por ser a pioneira no desenvolvimento de sonhos e pensamentos alucinados, trilhou um caminho amaldiçoado para todas as suas descendentes.


“Você pode curar sua família. Use a chave para levar seus tesouros para o meu mundo. Conserte os erros de Alice e quebre a maldição. Não pare até me encontrar.”

     Com medo de um dia chegar a enlouquecer e também perder sua mãe, devido à piora dos sinais de loucura, Alyssa junta pistas presentes em seu dia a dia e dá voz aos seus sonhos na busca pela toca do coelho. A entrada para o País das Maravilhas a aguarda e, caso ela decida se juntar ao mundo intraterreno, ela deverá consertar os erros que Alice cometeu há 75 anos e salvar sua família. Porém, o que Alyssa vai encontrar por lá é algo totalmente novo e diferente, e só então será possível desmascarar os encantos e magias adicionados por Alice na história clássica original.

Comentários

     Eu nunca tinha lido um livro baseado em um clássico que tivesse um desfecho tão intrigante. Alyssa é uma menina muito madura e dona de uma imaginação que até ela mesma desconhece. Suas opiniões e visões distorceram as lembranças que eu tinha da história original e colocaram meus pensamentos a mil por hora. Não por apenas alterarem o curso da história, mas por servirem como uma luva em inúmeras situações do nosso cotidiano. Sua missão no País das Maravilhas coloca em jogo os sentimentos mais importantes de sua vida, como o amor, a sinceridade e a confiança e quando percebe, uma batalha de verdades e mentiras entre os dois personagens que a cercam – Jeb, o amigo por quem Alyssa nutriu uma paixão durante anos, e Morfeu, protagonista de seus sonhos mágicos da infância e protetor – está travada. Mas quem está mentindo e quem age com sinceridade ela parece nunca ter certeza.


“Ele é uma contradição: magia contida pronta para entrar em ação, gentileza em guerra com a severidade, uma língua tão afiada quanto a ponta de um chicote, mas a pele tão macia que a sensação é a de que ele está envolvido em nuvens.”

     A história é carregada de sinestesias e metáforas vivas, da mesma forma que o enredo original, porém com um toque glamuroso e sensual. Uma coisa importante que também é evidente nas páginas de Lewis Carroll é a criação de personagens que vão além do alcance da imaginação. Parece que alguns fragmentos são formados e outros são flashes de imagens que não se colidem, não se condensam e, portanto eu não consigo visualizar. Isso fez com que a leitura ficasse lenta e minha mente cansada. A possível inocência de Alice criou um coelho branco com coletinho e um relógio, mas a ambição de A. G. Howard trouxe um rábido branco, cadavérico de orelhas finas e pontudas, que remetia à morte. A transformação fez com que o conto de fadas escorresse pelo ralo e trouxesse a tona um mundo com uma pitada macabra de terror.

     O desfecho me deixou de queixo caído. Eu realmente não esperava que aquilo fosse acontecer. Inicialmente fiquei pensativa e com um nó na garganta por tudo que aconteceu, mas depois de seguir os passos de Alyssa eu realmente conheci seu potencial, já que a cada capítulo ela provou que era mesmo a escolhida, justamente por ser a mais forte dos dois mundos.


     A história não acaba aqui!! O próximo livro já está em minhas mãos, é o “Atrás do Espelho” e acho que a autora tem muito mais pimenta pra assoprar nesse reino... então logo logo eu trago a resenha pra vocês!! Por enquanto é só... beijos e até a próxima!!


O Lado Mais Sombrio (Splintered)
A. G. Howard
Editora Novo Conceito – 2014
368 páginas
ISBN: 978-85-8163-338-1
Por Izabela Elias


4 Comentários

  1. Respostas
    1. Ahh que linda!!! Seja bem vinda... que bom que gostou.. fico muito feliz!! Espero que eu consiga corresponder às suas expectativas... 😘

      Excluir
  2. Até agora to em choque com o final! Quero ler logo o restante da história!

    Mais uma vez arrasando na resenha e nas fotos, Iza.

    Obs: Li agora sua resenha pq queria ler só depois de terminar o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelos elogios, Pam... e pelo livro tbm! Agora arrumar um tempinho pra continuação, por que eu também estou bem curiosa!!
      Beijos

      Excluir